segunda-feira, 10 de março de 2014

Piadas velhas que você deve parar de fazer urgentemente (ou: Piadas de Tiozão)


O Carnaval acabou e o ano pode, enfim, começar. Com ele, vêm as mesmas piadas de sempre (como a que abre este texto), repetidas exaustivamente pelos colegas da repartição. Para te ajudar (e você poder encaminhar, como quem não quer nada, para aquele colega chato, que adota essa prática), segue aqui uma singela lista de piadas que um dia já tiveram graça (sim, esse dia já existiu), mas que hoje só servem para denunciar a sua idade, e/ou para seus filhos morrerem de vergonha de você. O princípio básico é simples: se é uma piada que você precisa rir assim que conta, para sinalizar para os outros a hora em que eles devem achar graça, é porque não é boa. Ou melhor: não deveria nem ser chamada de piada.

"É pra ver (pavê) ou pra comer?"

"É problema de junta. Junta tudo e joga fora."

"Que Mário?"

"Ah, agora o ano vai começar", depois do Carnaval.

"Quem nasceu em novembro é filho do Carnaval."

"Cravo e canela?", se a menina se chama Gabriela.

Qualquer uma relacionada ao número 24 por ser o correspondente ao veado no jogo do bicho.

"É tipo Net."

"Que time é teu?"

"É light/diet", para se referir a qualquer doce que não é nem uma coisa, nem outra.

"Você viu a Mangueira entrar ontem?"
"Ah, não, tava de costas, né?"

Qualquer trocadilho com "peru" na época de Natal.

"Dá para" fazer alguma coisa? "Não, faço sem dar mesmo."

"Vai dar trabalho", quando um amigo tem uma filha bonita, ou geniosa, achando que está fazendo um elogio.

"Caiu um lenço", muitas vezes complementada por "e pelo barulho, era cor de rosa!", quando alguma coisa pesada e muito barulhenta cai no chão e quebra ou explode.

"Vai pagar a conta, hein?", quando alguém senta na cabeceira da mesa.

"Boa tarde!", quando a outra pessoa chega atrasada a um compromisso pela manhã. Ocupa a mesma categoria de "chegou cedo para ontem, hein?".

"Amanhã, não. Hoje.", quando passa da meia-noite e você fala de um compromisso que teria para o "dia seguinte".

"Vai comer ou quer que embrulhe?!", gritando para um desconhecido na rua. Se for para um(a) amigo(a), ainda vale.

Atrapalhar o parabéns, para cantar "a chuva cai, a rua inunda, ô, Fulano, eu vou comer seu bolo!" ou "é rôla, é rôla, é rola".

"Quando vêm os filhos?", quando a pessoa acabou de casar.

"E o Kiko?", para "o que que eu tenho a ver com isso?"*

"Você pinta como eu pinto?"*

"Se eu cozinho, eu não lavo, hein?!"*

"Vai fazer exame de fezes?", quando o sujeito aparece mais bem vestido do que o normal (em geral, de terno, se for homem).*

"Não precisa brigar", quando a outra pessoa agradece dizendo "'brigado(a)"

Qualquer uma sobre 1º de Abril.

Outros diálogos:
Dias (ou Noites) Modernos(as)
Papo Masculino
Diálogos que adoraríamos ver na TV
A seguir, cenas dos próximos capítulos

*Inestimáveis contribuições da amiga e leitora Cíntia Cardoso.

2 comentários: